Licença Creative Commons

Seguidores

Pessoas que gostam de Animais

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Veado Campeiro

Nome em inglês: Pampas Deer.

Nomes em espanhol: Ciervo Pampero, Ciervo de las Pampas, Venado Campero, Venado de Campo e Venado de las Pampas.

Distribuição geográfica: América do Sul. Ocorre na Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai. Devido a ação humana a distribuição atual do veado campeiro se restringe a manchas isoladas, sendo a maioria no Brasil.

Descrição física: Os machos pesam até 34 kg e as fêmeas até 29 kg. O comprimento da cabeça e corpo dos machos pode chegar até 120 cm e das fêmeas 90 cm. O comprimento da cauda pode chegar até 14 cm. A altura do ombro pode chegar até 70 cm nos machos e 65 nas fêmeas. O dorso tem coloração que vai do marrom amarelado ao marro avermelhado pálido. O focinho e parte superior da cauda tem a cor preta. Tem a cor branca na face interna das orelhas, lábios, pescoço, ventre e parte inferior da cauda. Também tem um círculo branco ao redor dos olhos. Os filhotes até os 3 meses de idade apresentam manchas brancas no dorso. Os machos adultos tem um par de galhadas que podem chegar até 30 cm, e  geralmente tem 3 pontas, uma de uma primeira bifurcação e as outras duas posteriores. As galhadas são trocadas anualmente, sendo que os ciclos variam conforme a região. Fêmeas e filhotes não apresentam galhadas.

Alimentação: O Veado Campeiro se alimenta de gramíneas e outros vegetais, como plantas herbáceas e arbustivas.

Hábitos: Vive em pequenos grupos que raramente passam de 6 indivíduos. Os grupos não são fixos, estes se modificando continuamente.

Habitat: Habita vários tipos de ambientes abertos, como Cerrado, Pampas e Pantanal.

Predadores: Dentre seus predadores encontra-se a Onça Pintada (Panthera onca), a Onça Parda (Puma concolor) e o Lobo Guará (Chrysocyon brachyurus). Jaguatiricas (Leopardus pardalis) e Graxains do Mato (Pseudalopex gymnocercus) também podem predar filhotes.

Reprodução: As fêmeas tem uma gestação que dura até 7 meses. Nasce 1 filhote por gestação.

Taxonomia:

Reino: Animalia;
Filo: Chordata;
Classe: Mammalia;
Ordem: Cetartiodactyla;
Família: Cervidae;
Gênero: Ozotoceros;
Espécie: Ozotoceros bezoarticus (Linnaeus, 1758);


























Ilustração: Richard Lydekker

http://commons.wikimedia.org/wiki/File:The_deer_of_all_lands_(1898)_Pampas_deer.png



Referências:

http://www.iucnredlist.org/details/15803/0 Acessado em 28/01/2015

Mattioli S. (2011). Family Cervidae (Deer). P. 437 in: Handbook of the mammals of the world. Vol 2. Hoofed Mammals. Lynx Edicions, Barcelona.

DUARTE, J. M. B; PIOVEZAN, U. ; ZANETTI, E. S. ; RAMOS, H. G. C. . Espécies de cervídeos brasileiros com preocupações de conservação: VEADO-CAMPEIRO (Ozotoceros bezoarticus). In: José Maurício Barbanti Duarte; Marcelo Lima Reis. (Org.). Plano de ação nacional para a conservação dos cervídeos ameaçados de extinção. Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Icmbio, 2012, v. , p. 51-69.

Braga, F. G. ; Moura-Britto, M.; Margarido, T. C. C. 2000. Estudo de uma população relictual de veado-campeiro, Ozotoceros bezoarticus (Linnaeus) (Artiodactyla: Cervidae) no município da Lapa, Paraná, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 17 (1): 175- 181.

Eisenberg, J. F; Redford, K. H. Mammals of the Neotropics, Volume 3 : The Central Neotropics: Ecuador, Peru, Bolivia, Brazil. Chicago, Londres: Chicago University Press, 1999, P. 347-348.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Cervo do Pantanal

Nomes em inglês: Marsh Deer.

Nomes em espanhol: Ciervo De Los Pantanos e Ciervo Marismeño.

Distribuição geográfica: América do Sul, ocorrendo no Peru, Brasil, Bolívia, Argentina e Paraguai. Está extinto no Uruguai.

Descrição física: O Cervo do Pantanal é o maior cervídeo vivo da América do Sul. Os machos pesam entre 110 a 130 kg e as fêmeas de 70 a 100 kg. O comprimento da cabeça e corpo dos machos pode chegar até 180 cm e das fêmeas 165 cm. A cauda pode chegar até 15 Cm. A altura do ombro nos machos pode tem aproximadamente 130 cm e nas fêmeas 115 cm. Apresenta coloração marrom avermelhada pelo corpo. O ventre, parte do pescoço e o interior das orelhas são brancos. Também apresenta um anel branco em volta dos olhos. Suas pernas são longas com a porção distal negra. O seu focinho também é enegrecido. As orelhas são longas e arredondadas. Os machos apresentam um par de galhadas que podem atingir até 60 cm. As galhas são dicotomizadas a base e geralmente tem 5 pontas, podendo ter mais.

Alimentação: Tem tendência de procurar alimentos de fácil digestão. Pode se alimentar de plantas aquáticas, semi aquáticas, leguminosas, gramíneas e plantas arbustivas.

Hábitos: Vive solitário ou em pequenos grupos familiares.

Habitat: Habita zonas úmidas, como áreas sazonalmente imundadas e pantanosas.

Predadores: Dentre seus predadores encontram-se onças pintadas (Panthera onca), pumas (Puma concolor), jacarés e sucuris. Lobos Guarás (Chrysocyon brachyurus) também podem predar filhotes.

Reprodução: As fêmeas tem uma gestação que pode durar até 271 dias. Nasce 1 filhote.

Taxonomia:

Reino: Animalia;
Filo: Chordata;
Classe: Mammalia;
Ordem: Cetartiodactyla;
Família: Cervidae;
Gênero: Blastocerus;
Espécie: Blastocerus dichotomus (Illiger, 1815).


























Ilustração: Richard Lydekker https://www.flickr.com/photos/biodivlibrary/7971648260/in/set-72157631500644110























Foto: lotlhmoq https://www.flickr.com/photos/42068060@N06/7545400502/


























Foto: lotlhmoq https://www.flickr.com/photos/42068060@N06/7545399800/

Referências:

http://www.iucnredlist.org/details/2828/0 Acessado em 20/01/2015

Mattioli S. (2011). Family Cervidae (Deer). P. 436 in: Handbook of the mammals of the world. Vol 2. Hoofed Mammals. Lynx Edicions, Barcelona.

Eisenberg, J. F; Redford, K. H. Mammals of the Neotropics, Volume 3 : The Central Neotropics: Ecuador, Peru, Bolivia, Brazil. Chicago, Londres: Chicago University Press, 1999, P. 340.

DUARTE, J. M. B; PIOVEZAN, U. ; ZANETTI, E. S. ; RAMOS, H. G. C. . Espécies de cervídeos brasileiros com preocupações de conservação: CERVO-DO-PANTANAL (Blastocerus dichotomus). In: José Maurício Barbanti Duarte; Marcelo Lima Reis. (Org.). Plano de ação nacional para a conservação dos cervídeos ameaçados de extinção. Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Icmbio, 2012, v. , p. 29-42.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Vicunha

Nomes em inglês: Vicuna, Vicuña e Vicugna.

Nome em espanhol: Vicuña.

Distribuição Geográfica: América do Sul. Ocorre no Peru, Bolívia, Chile e Argentina.

Descrição física: A Vicunha é menor que o Guanaco (Lama guanicoe). Pesa aproximadamente entre 38 a 45 Kg. O comprimento da cabeça e corpo chega entre 125 a 190 Cm e a cauda 25 cm. A altura dos ombros pode chegar até 90 cm. Apresenta coloração que vai do canela ao marrom-avermelhado dorsalmente e na cabeça, além de branco no ventre e face interna dos membros. A Vicunha tem uma tufo de pelos no peito. Sua cabeça tem forma de cunha e sua orelhas pontudas. Seus dentes incisivos tem crescimento contínuo.

Alimentação: Herbívora. Alimenta-se principalmente de gramíneas, mas também de arbustos. As Vicunhas necessitam beber água com mais frequência comparada a outros camelídeos.

Hábitos: Vive em grupos familiares compostos por um macho, fêmeas e filhotes. Também podem existir grupos de machos solteiros ou ainda machos solitários. Os grupos familiares vivem em um território.

Habitat: Habita regiões de 3.200 a 4.800 m de altitude. Vive nas províncias biogeográficas do puna e Altoandina.

Reprodução: As fêmeas tem uma gestação que dura aproximadamente entre 330 até 350 dias. Nasce 1 filhote por gestação. Sua reprodução é sazonal, sendo que os filhotes nascem de fevereiro a abril.

Taxonomia:

Reino: Animalia;
Filo: Chordata;
Classe: Mammalia;
Ordem: Cetartiodactyla;
Família: Camelida;
Tribo: Lamini;
Gênero: Vicugna;
Espécie: Vicugna vicugna (Molina, 1782).



























Ilustração: Die Säugthiere in Abbildungen nach der Natur / mit Beschreibungen von d. Johann Christian Daniel von Schreber, de Johann Christian Daniel Schreber.

Image courtesy of Biodiversity Heritage Library

 http://www.flickr.com/photos/biodivlibrary/7257686254/

http://biodiversitylibrary.org/























Foto: Brent Huffman

http://www.ultimateungulate.com/


Referências:

http://www.iucnredlist.org/details/22956/0 Acessado em 15/01/2015

Franklin, W. L. (2011). Family Camelidae (Camels). P. 238 - 239 in: Handbook of the mammals of the world. Vol 2. Hoofed Mammals. Lynx Edicions, Barcelona.

Iriarte, A. 2008. Mamíferos de Chile. Lynx Edicions. Barcelona, Espanha, p. 212-213.

Vilá B. La importancia de la etología en la conservación y manejo de las vicuñas. Etología, Luján, v 7, p. 63-68, março/maio 1999.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Guanaco

Nome em inglês: Guanaco.

Nome em espanhol: Guanaco.

Distribuição geográfica: América do Sul, do Peru, Bolívia, Chile, Argentina e Paraguai. Sua faixa de distribuição vai do Peru até a Terra do Fogo.

Descrição física: Pesa entre 90 a 140 kg. O comprimento da cabeça é corpo é entre 190 até 215 cm, e o cauda até 27 cm aproximadamente. A altura do ombro é de aproximadamente até 130 cm. Apresenta coloração castanha dorsalmente e lateralmente, branca no ventre e face interna dos membros e sua cabeça é escura. Não apresenta o tufo de pelos no peito como a Vicunha (Vicugna vicugna). Seu pescoço e pernas são longos.

Alimentação: Herbívoro oportunista intermediário. Alimenta-se de gramíneas e plantas arbustivas, também podendo se alimentar de líquens, fungos, cactos, flores e frutos.

Hábitos: A estrutura social do Guanaco varia, podendo viver em grupos familiares compostos por um macho, fêmeas e filhotes. Também existem grupos compostos apenas de machos ou grupos mistos, além de machos solitários. Os machos de grupos familiares são territoriais, defendendo os grupos de outros machos. Diferentes populações de Guanacos podem ser migratórias ou sedentárias.

Habitat: Pode habitar regiões ao nível do mar ou a altitudes que podem chegar a 4.500 m ou mais. Habita vários tipos de ambientes, como desertos, estepe andina, puna, pré-puna, pastagens, chaco, sul dos pampas, planícies montanhosas ou de baixa altitude.

Reprodução: As fêmeas tem uma gestação que pode durar até 360 dias. A cada gestação nasce um filhote.

Taxonomia:

Reino: Animalia;
Filo: Chordata;
Classe: Mammalia;
Ordem: Cetartiodactyla;
Família: Camelidae;
Tribo: Lamini;
Gênero: Lama;
Espécie: Lama guanicoe (P.L.S. Müller, 1776).





















Foto: Alastair Rae: https://www.flickr.com/photos/merula/153179602/


Referências:

http://www.iucnredlist.org/details/11186/0 Acessado em 10/01/2015

SCHERER, C. S. Estudos dos Camelidae (Mammalia Ardtiodactyla) do Quartenário
do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. 2005. Dissertação (Mestrado) - Universidade
Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

Franklin, W. L. (2011). Family Camelidae (Camels). P. 235 in: Handbook of the mammals of the world. Vol 2. Hoofed Mammals. Lynx Edicions, Barcelona.

Iriarte, A. 2008. Mamíferos de Chile. Lynx Edicions. Barcelona, Espanha, p. 208-209.

Posição Atual da Terra e da Lua

Postagens populares

Ocorreu um erro neste gadget